O Mago e o Espírito Santo

Dos arquivos da Toca ES trazemos o desenho da antiga entocada Juliana Oliveira, feito em janeiro de 2003. Não é bonito?

Balada de Beleg e Túrin

Continuando o resgate das obras criadas pelos membros da Toca ES publicamos agora "Balada de Beleg e Túrin" da autoria de J.Nildo.

Eu te olhava nos olhos profundos, resolutos, ousados,
E, mesmo sabendo seres forte, eu te queria proteger.
Eras tão valente e tão jovem, tão indefeso e infantil...

Ah, Túrin, filho de Húrin, que triste destino o teu.
O de bravamente lutar, e de sempre vagar.
Por todos ser amado, e a todos destruir.
Maldito seja Melkor, teu algoz, e bendito seja teu descanso.
Quando deixares tal dor atrás, quando de paz puderes desfrutar.

Tu sabes bem; de modo paternal te acolhi,
E como o maior dos amigos te amei.
Minha melhor espada te dei,
Mas com esta espada em tuas mãos,
Numa noite escura a vida me deixou,
Meu corpo caiu inerte, e as trevas nos cobriram.

Vejo uma tumba, um túmulo, uma pedra fria.
Flores no chão, despedaçadas eu via.
Daqui, das Mansões de Mandos, meu coração te seguia.
E vi tua angústia, teu vazio, teu desespero,
Mas já não os podia, contigo, sentir.

Lamento por ti, Túrin, filho de Húrin, lamento por ti.
Amei-te como pai, como amigo e guardião...
E como teu guardião pereci.
Mas acharás descanso, eu sei.
E, conforme os planos de Eru,
Em algum reino eterno serás Rei

Não me arrependo nem uma única vez,
E nem por um mísero segundo de tudo que passei por ti,
Nem dos caminhos que contigo trilhei.
Descanse em paz, meu amigo Túrin,
Descanse em paz, Guerreiro e Rei.

Sinceramente,
Beleg Cuthalion

Louvado Seja

Direto dos arquivos da Toca ES, um poema escrito por Alexandre Marreco.

Louvado Seja

Doce dama de Belfalas
Filha do Cisne e do Lamento
Criada como o mar,
Apesar dos cumes e abatimentos.

Pelas rédeas do Cavaleiro Destemido,
Foi bem-aventurada e venturosa
Descobrir o que nunca imaginara
Mesmo com dias além da conta.

Irmão da donzela Pelejeira,
Cuja mão não sucumbira
Sempre esteve em sua defesa
À toda hora e todo dia.

Esta ascendeu contra o Medo
E dele tirou a vida.
Com a ajuda de um pequenino
Armado com a lâmina antiga.

Ele desconhecia sua procedência,
Mas a bravura lhe foi bastante.
Para confiar na dádiva oferecida
Pela Senhora Exuberante.

Por ela se apaixonou outro
Também diminuto, mas brutamonte,
Para ela lhe abrandar
Bastou a mecha de sua fronte.

Ele muito aprendeu
Com o amigo inesperado.
Entre uma sociedade de companheiros
Teve o preconceito despedaçado.

Este era os olhos,
Enquanto os outros eram cegos.
Ainda era jovem,
Mas o segundo mais velho.

O primeiro não tem idade,
Pois antes do mundo não há contagem.
Este era a esperança da Companhia,
Enviada pelo Senhor das Ventanias.

Irmão da Água, da Terra e das Árvores,
Ele se uniu à Estrela para ver além-mares.
Todos irmãos de um filho sujo,
Filhos do Um, Senhor do Mundo.

Pai do Criador não há,
Mas o criador do Pai sempre esteve ali.
Em meio a tantos personagens,
Louvado seja J.R.R. Tolkien.

Hoje a noite quem dorme é o leão?

Se você viu o filme quando foi lançado, vários anos atrás, ou viu o filme ano passado em 3D, ou mesmo parou para assistir o musical em algum lugar, você ainda não sabe o que é a experiência de estar perto do Rei Leão.

Vasculhando os arquivos da Toca, encontramos nada mais que a gravação histórica de nosso querido membro Wallace, cantando essa bela canção. Não há palavras para descrever essa gravação, então, simplesmente ouça!

The lion sleeps tonigh by wall.

Pular para a barra de ferramentas